ESPN Global – En britisk basert mobil e-sportsplattform kunngjør støtte for Bitcoin-betalinger

ESPN Global er en mobil e-sportsplattform som er basert i Storbritannia. Selskapets hovedkontor er i Polen, og det tar sikte på å transformere den globale mobile spillsektoren ved å bruke blockchain.

ESPN lanserer

ESPN Global kunngjorde nylig at deres blockchain-spillplattform hadde lansert. Brukere av plattformen vil kunne gjøre innskudd og uttak i Bitcoin og andre kryptomynter. Betalinger vil bli behandlet gjennom Cryptopay.

Som en del av kunngjøringen uttalte ESPN Global at de ville integrere en online skattejakt kalt „Satoshi’s Treasure.“ Skattejakten vil omfatte BTC som er verdt 1 million dollar som vil bli spredt mellom 1000 finalister.

I uttalelsen utstedt av selskapet sa det at pre-lanseringsfasen ville tilby populære spill gjennom en mobilapp med premier betalt i krypto. Funksjoner som bekreftelse av transaksjoner vil bli desentralisert ved bruk av blockchain-teknologi.

Betalingen vil bli håndtert av Cryptopay, et selskap som spesialiserer seg på kryptobetalinger. Målet er å sikre at betalingene er trygge, sikre og raske. Brukere av plattformen kan velge et spill eller delta i en gruppe for å delta i sanntidskonkurranser. Det deles ut priser basert på de høyeste poengene som er samlet.

Premium medlemskap

Medlemmer av plattformen kan også registrere seg for premiummedlemskap der man får prioritert tilgang til spilleautomater og tidlig tilgang til nye spill. Den britiske baserte e-sportsplattformen er under ESPN Global Corporation Ltd som har hovedkontor i Polen.

Ifølge Chris Parker, direktøren for ESPN Global, har blockchain mye potensiale. Han bemerket at e-sportsektoren var verdt 140 milliarder dollar globalt. Direktøren la til at e-sportsektoren hovedsakelig var drevet av digitale mikro-transaksjoner. Etter hans mening ville populariteten til mikro-transaksjoner i e-sportsektoren bli betydelig forbedret ved bruk av blockchain-teknologi.

Satoshis skatt

Som en del av lanseringen kommer plattformen til å lansere Satoshi’s Treasure. Det vil være et puslespill på 1 million dollar. Direktøren for ESPN Global, Chris Parker uttalte at: „Med dette puslespillet Satoshi’s Treasure på 1 million dollar, lover vi en dusørbelagt bitcoin-lommebok hvis nøkler vil bli delt inn i 1000 fragmenter, og gyte en global jakt på prisdelene.“

Plattformen har også planer om å lansere et innledende byttetilbud for deres Smart Gaming Token (SGT), som er et ERC20-token.

I følge Chris Parker vil de fra lanseringsdagen tilby SGT airdrops til registrerte spillere i gave. Han la til at når spillere taper penger i et spill eller en turnering, ville de bli kompensert via SGT-luftrutene. Spillere tjener en tilsvarende verdi i SGT for det de tapte, som vil bli sendt til ERC20 lommeboken.

SGT airdrops er verdsatt til $ 0,001. Verdien er imidlertid satt til å stige når spillmiljøet vokser. De med premiummedlemskap som mottar doble SGT-er mot mengden superkonkurranse vil også ha eventuelle tap dekket via airdrops.

Bruken av blockchain-teknologi i e-sportssektoren er fremdeles begrenset. Imidlertid er plattformer som ESPN Global med på å vise at teknologien har potensial til å transformere industrien.

Bitcoin está em risco de ser banido após o enorme acesso ao Twitter?

O enorme hack no Twitter que aconteceu há apenas algumas horas pode ser bom ou ruim para o Bitcoin e para a moeda criptográfica como um todo. Dependendo de quem você perguntar, aqueles que não quiserem entender isso, muito provavelmente apoiarão a proibição da Bitcoin.

Proibir o Bitcoin?

O movimento „Banir a Bitcoin“ parece conseguir um impulso porque, de acordo com as pessoas que apoiam esta idéia, se não houver Bitcoin, não haveria um incentivo para fazer golpes. Os criminosos se voltaram para o Bitcoin para supostamente esconder seu rastro. (Sem saber Bitcoin na verdade os torna mais rastreáveis).

Outros acreditam que a pirataria (e o eventual esquema de dar a mão na massa) foi planejada mais cedo para banir a Bitcoin. Um usuário do Twitter lamentou: „Pergunte-se como eles hackearam as pessoas dessa maneira“. E não se esqueça que Trump não foi hackeado“.

O Caso da Descentralização

Mas aqueles que entendem Bitcoin sabem que o hack do Twitter é uma demonstração óbvia de que é hora de descentralizar.

O representante Tom Emmer do Minnesota parece pensar assim – que Bitcoin não é o problema aqui, mas o controle centralizado. Twitter, Google, e muitos servidores e recursos das empresas estão centralizados. Isto significa que há uma única fonte de uma possível quebra.

Assim como aconteceu com o Twitter ontem, foi preciso uma pessoa descuidada, que o Twitter está investigando atualmente, para invadir toda a rede. De acordo com inúmeros relatórios, os hackers empregaram um infiltrado do Twitter que „basicamente fez todo o trabalho“ por eles.

Isto não é possível com uma cadeia de bloqueio pública. Se os dados de um nó forem alterados, toda a rede também deve modificar seus dados. Um nó não poderia adulterar toda a rede porque é necessário muito poder computacional para poder puxá-la. E a razão pela qual tal ataque (51% de ataque) não ocorreu é que há um tremendo incentivo para não fazer isso.

Esquema do Twitter

É importante notar que no grande esquema das coisas, o que aconteceu foi um golpe no Twitter ou um hack no Twitter. Alguém teve acesso aos servidores do Twitter, tomou o controle das principais contas e fez um esforço concertado para atrair os usuários em um golpe de Bitcoin giveaway. A própria Bitcoin não foi hackeada.

Ainda assim, apesar do fato de que Bitcoin era apenas um acessório da ocorrência de hacking, a narrativa conduzida pela grande mídia enfatizou que o que aconteceu foi um „golpe Bitcoin“.

Tecnicamente, a Bitcoin não podia ser banida. Todos podem usá-la livremente. Mas nada pode também impedir os governos do mundo de restringi-lo impondo que as empresas Bitcoin não poderiam operar em suas jurisdições. Basta ver como os Estados Unidos forçaram com sucesso a Libra a quebrar sua iniciativa global de moeda criptográfica.

La più grande balena bitcoina non identificata muove 100.000 BTC

Non c’è balena più grande di quella che ha appena spostato i suoi bitcoin, a parte naturalmente le piattaforme di scambio di crittografia e lo stesso Satoshi Nakamoto.

L’importo totale in Bitcoin Profit spostati è di quasi un miliardo di dollari, ma è stato trasferito per una modesta somma di 0,48 dollari!

Una misteriosa balena si sveglia…

Lo scorso aprile, l’indirizzo Bitcoin è diventato il più ricco di tutti quelli di cui non si conosce l’identità del proprietario.

Con 101.857 BTC, questo „BBNI“ (Whale Bitcoin Unidentified) è stato poi superato dai crypto-wallet e dalle borse Huobi Bitfinex, secondo The Associate Crypto.

Ma sabato scorso, 27 giugno, questo (molto) grande pesce nella criptosfera ha misteriosamente spostato il suo BTC. Come possiamo vedere nella transazione qui sotto, quasi tutte le BTC sono state spostate in due nuovi portafogli sconosciuti.

In totale sono stati trasferiti circa 935 milioni di dollari di bitcoin. Un primo portafoglio ha ricevuto 5.000 BTC, mentre un secondo portafoglio è stato creato per ricevere il „resto“ (valuta) della transazione, cioè 96.857 BTC.

La balena mantiene il suo titolo di più grande portafoglio sconosciuto

Questo ultimo portafoglio, con l’equivalente di 890 milioni di dollari in BTC, è ora il secondo più grande (noto) per numero di bitcoin, secondo i dati di BitInfoCharts. Ma poiché il più grande appartiene ancora a Huobi, la nostra misteriosa balena rimane la prima delle „non identificate“.

Si noti che le commissioni per questa operazione sono state di soli 5.271 satoshis (0,00005271 BTC), ovvero 48 centesimi. Quale sistema può fare di meglio, in termini di commissioni di trasferimento per somme di denaro così elevate?

Difficile sapere al momento quale sia il motivo di questo importante movimento di BTC. Questo portafoglio potrebbe anche appartenere a una piattaforma di scambio (che non avrebbe rivelato il suo indirizzo). Lo terremo d’occhio, nel caso in cui segnali un movimento sui prezzi Bitcoin.